#TRENDYPLAY: As descobertas musicais da semana

Você já conhece o #TRENDYPLAY? Se não, senta que lá vem música boa.
Nosso projeto semanal de indicação de música nova e diferente para embalar o nosso dia a dia vem, em mais uma edição, dividindo o que tem ocupado os nossos ouvidos.

Você sabe que temos uma playlist no Spotify para você acompanhar sempre que a atualizamos, né? Segue a gente lá! E bora descobrir coisa legal.

JP Cooper – She’s On My Mind

JP é o cara que dá rosto pra nossa edição dessa semana do #TRENDYPLAY e, olhando bem, ele não parece uma versão branca do Bob Marley? Dreads grossos… rosto magro, barbinha… Bom, isso é proposital. A Island Record, gravadora dele e do saudoso Bob, faz questão de manter essa semelhança… hehe Não que o som dos dois sejam muito parecidos: JP Cool está mais para um soul novo, repaginado e pop. Pouco do reggae. Mas o cara tem qualidade. Música gostosa animada, chiclete pra ficar repetindo e curtindo por bastante tempo. Sinto que vamos ver esse rostinho bastante por aí: tenho visto bastante campanha de seus últimos trabalhos. “She’s on My Mind” ganhou até um EP de Remixes com uma versão feita pelo nosso brasileiro Bruno Martini… Deve vir albúm por aí.

Natiruts – Caminhando Eu Vou

Eles ficaram tanto tempo sem lançar algo novo e, quando soltaram, é essa proeza da música brasileira. Natiruts está, com certeza, entre as minhas bandas nacionais preferidas. É incrível a vibe boa que se sente ao ouví-los. E as letras… de uma poesia… Índigo Cristal é o mais novo trabalho da banda. Tem até participação do Ed Motta, metre do soul/funky. Em Caminhando eu Vou a gente encontra mais um daqueles refrões delícia de cantar junto: fácil, melódica e tem muito sentimento. Ótima música pra dedicar pro mozão. Tem potencial pra ser mais uma das suas músicas mais lembradas. To louco pra conseguir ir em algum show da nova turnê. Quem vem comigo?

Karol Conka – Bate a Poeira Parte II

Bate a Poeira é mais uma das grandes composições da Karol para o album Batuk Freak, que lançou ela para a fama nacional e a projetou pra essa posição gigante na cultura urbana e pop do Brasil. A produção da versão original, no entanto, não é tão comercial. Mas a letra é a ode perfeita à filosofia “Seja o quiser ser!”, felizmente tão perpetuada hoje. E Karol Conka é causa e consequência desse discurso. Ela tá gigante, protagonizando várias campanhas por aí. “Farofou”, como ela mesmo diz. Tanto que foi convidada a ser música tema da novela Malhação e aí deu essa nova roupagem pra música. Ficou lindo!

COMPARTILHAR
Thiago tem 25 anos, é comunicador e acredita que marketing é pra tudo e todos. Aquariano. Up Tempo. Amante da música, do entretenimento, da arte e da cultura pop. Movido por novidade! @thicerqueira

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário
Seu nome aqui