O que são APIs?

Se você trabalha com tecnologia você provavelmente já ouviu falar sobre APIs. Mas você sabe o que significa de fato a famosa sigla? E se você não trabalha com tecnologia, porque é relevante para você? Se você procurar no Google vai descobrir que a sigla vem de “Application Programming Interface”. Que? Já que eu trabalho com tecnologia, mas estou longe de ser um dos programadores, eu também tentava entender, mas sem muito sucesso. Até atender uma masterclass no festival OuiShare ano passado. E já que eu descobri que APIs são relevante não só pra programadores, mas qualquer um, eis aqui as minhas notinhas.

Para mim a aula já começou antes de entrarmos na sala. Minha colega Lenneke tentou me dar uma explicação, que já me ajudou a dar um contexto diferente para a nova tecnologia.

“APIS ATUAM COMO PORTEIROS, MAS PARA SOFTWARES AO INVES DE PREDIOS”

Um dos “mestres” confirmou a fala dela, dando vários outros exemplos do mesmo tipo. A principal lição que tirei disso é que APIs não são complicados afinal. O negócio é que quem trabalha de fato com eles são programadores. E eu não sou uma programadora. E aí que mora o problema, eu nunca trabalhei na prática com eles, só ouvi falar. Por isso exemplos que afetam o nosso cotidiano fazem muito mais sentido.

API 101

A primeira coisa que você precisa saber, como eu já mencionei: se você não é um programador, você provavelmente nunca vai ver de fato um API. Isso não significa que você não vai fazer uso deles. APIs funcionam como uma interface para softwares. Por exemplo, pense no seu telefone; você não sabe o que está acontencendo dentro dele para que ele responde ao seu toque. Você não precisa saber como ele funciona para usa-lo, e isso se da por causa da interface dele. Você encosta nele e algo acontece.

A mesma coisa é válida para APIs. Programadores não tem que programar milhares de linhas para recriar o “like” do Facebook no seu próprio app ou site. Eles usam o API do Facebook para implementar a funcionalidade. E esse é só um pequeno exemplo. A real é que os APIs já te cercam e são uma parte do dia a dia dos programadores.

API, porque usar?

A razão número um, pelo o que eu entendi, é para economizar tempo dos programadores. Já que essa é uma das profissões mais demandadas hoje em dia, poupar o tempo deles vale ouro. Outra coisa importante de se saber é que a maioria das pessoas usam APIs abertos, e isso é só a ponta do iceberg. A grande maioria dos APIs são utilizados apenas pelas empresas onde eles são criados.

Apesar de a maioria dos APIs não serem divididos, há muitas razões pelas quais mais e mais empresas estão abrindo eles para o mundo. O Facebook por exemplo abriu o API do Like para que houvesse mais uso dele, aumentando a relevância da própria rede social. Outra razão bem importante é para coletar mais dados. Lembra do Foursquare? Aquele app que todo mundo brigava para ver quem era o prefeito de tal lugar? Apesar de ele não ser mais tão usado ele se manteve relevante ao liberar seu API. A Amazon por outro lado tem muito APIs mas são todos usados internamente entre seus diversos departamentos. Afinal, porque fazer um trabalho hoje que alguém já fez ontem?

API e Design

Durante a masterclass os experts no assunto colocaram bastante ênfase no design. Uma vez que APIs agem como uma interface, um ponto chave é que outras pessoas os entendam, e esse é exatamente o papel do design. Além disso, assim como o design de uma marca, é importante que quando uma empresa cria vários APIs eles sigam os mesmos aspecto e lógica. Essa é uma das maiores demandas atuais; profissionais que saibam criar um styleguide para essas funcionalidades, assim como são feitos para as marcas. E já que é uma áreea nova, existem muitas oportunidades. Fica a dica.

Um mercado de 1,9 trilhões de dólares

Esse número parece exagerado? Pode até ser. Mas foi esse valor que Zdenec Nemek, da empresa Good API, atribuiu ao potencial do mercado de APIs. A razão? Os mesmos ainda não são tão espertos, o que na verdade faz ele ter um potencial imenso. Uma das maiores razões para isso, de acordo com Nemek, é que ainda há muita interação humanda entre os APIs. O potencial está em fazer a interação entre eles tão boa que seja automática. Isso significa que o próprio software reconhece suas necessidades, acham uma solução e incorporam a mesma sem que nenhum ser humano o comande pra fazer isso. Ai que o futuro começa a fica um pouco assustador, certo?

Essa discussão eu vou abordar mais tarde, antes eu gostaria de mostrar uma outra razão pela qual esse mercado pode ser tão valioso. essa pode ser resumida em três palavras: aparelhos domésticos inteligentes. Oi? Enquanto a gente não para de falar dos ‘smart phones’, não paramos pra prestar atenção em quantos outros aparelhos “inteligentes” estão surgindo; e eles também precisam de programação e APIs. Isso significa que para realmente enxergar todo o mercado é preciso lembrar que não estamos lidando apenas com telefones ou computadores, mas com geladeiras, TVs, luz, alarmes, ar condicionado, aparelhos de som, máquinas de lavar e até fechaduras e campainhas. Basicamente todos os aparatos domésticos que você consegue pensar. Quero dizer, o mercado fica bem maior né? Ai dá até pra entender porque estamos falando de trilhões.

O que resta para os seres humanos?

Durante a aula enquanto os mestres em APIs falavam no potencial em automação eu me perguntava: qual emprego vai restar para nós, pobres mortais? Mehdi Medjaoui, da APIdays, teve uma resposta genial e inesperada. Ele falou para mim e todos os presentes que essa é um questão política. Empresas podem decidir investir apenas no que lhes da mais dinheiro e simplesmente demitir todo mundo, ou eles podem criar empregos mais humanos. Empregos que requerem empatia. Um exemplo? Cuidado de idosos é um deles. Uma vez que nossa população fica mais velha, porque não investir nisso? E você, qual emprego você consegue pensar que requere empatia? Onde as capacidades exclusivamente humandas podem ser colocadas em bom uso?

COMPARTILHAR
Morando em Amsterdam e sonhando com a vida de nômade digital. Amo filmes, séries, livros, contos em volta de fogueira, letras de música. Resumindo, toda boa história. Tudo que é novo me da energia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário
Seu nome aqui